7 dicas de segurança para quem mora em apartamento

Sobretudo nos grandes centros urbanos, a segurança de um apartamento costuma ser maior do que a de uma casa. Afinal, os prédios costumam ter muitas câmeras de segurança, menos pontos de entrada e, em muitos casos, uma portaria com profissionais 24 horas por dia.

Entretanto, isso não significa que um apartamento seja livre de riscos. Apesar das suas características, existem alguns cuidados a serem tomados para aumentar a sua segurança, tanto em relação à violência urbana quanto por riscos internos de acidentes domésticos.

Quer evitar riscos e entender o que é preciso para se proteger adequadamente? Então, continue a leitura e saiba como manter a segurança e a tranquilidade em sua casa.

Como aumentar a segurança contra ataques

Um dos riscos de segurança em um apartamento é o de uma invasão ou ataque de terceiros ao seu lar. O perigo pode vir de algum invasor de fora do condomínio ou mesmo de algum vizinho mal intencionado. Casos assim não são raros: basta acompanhar os noticiários para conhecer histórias de violência dentro de condomínios.

A seguir, confira alguns recursos e medidas que podem ser providenciados para aumentar a segurança do seu apartamento e para você se proteger contra possíveis riscos.

1- Use uma fechadura eletrônica

As fechaduras digitais são ideais para quem quer diminuir os riscos de assalto em um apartamento. Elas são superiores às fechaduras normais pois dificultam consideravelmente a invasão.

Não é possível usar truques com grampo para abrir a fechadura digital. Sua única interface física exige a senha para que a porta seja destrancada. Mesmo que um criminoso consiga entrar no prédio, ele não conseguirá invadir seu apartamento.

Além disso, a fechadura eletrônica protege contra o uso de chaves mestras. Essa é, inclusive, uma das principais tecnologias de segurança nas férias, já que você pode se ausentar tranquilamente, sabendo que ninguém entrará na sua casa.

2- Siga as regras do condomínio

Os condomínios, geralmente, contam com uma cartilha de regras de segurança elaboradas por especialistas no assunto, contratados para deixar aquele espaço mais protegido contra invasões.

É importante seguir essas normas, uma vez que as falhas humanas estão entre os principais fatores de vulnerabilidade em qualquer sistema de segurança. Por exemplo, as portarias com clausura não devem, nunca, ter suas duas portas abertas ao mesmo tempo. Mesmo que seja uma saída rápida, é importante seguir as regras para evitar brechas.

3- Participe do comitê de segurança

Uma das maneiras de aumentar a segurança do seu condomínio é participar das reuniões condominiais e do comitê de segurança do prédio. Assim, você poderá propor novas tecnologias, sistemas e táticas para implementar no ambiente. Além disso, você conhecerá todas as normas já em vigor e saberá como agir caso algo aconteça.

4- Esteja sempre atento

Quando mudamos de uma casa para um apartamento, a tendência é relaxar um pouco com a segurança. Afinal, por que trancar a porta se o condomínio é seguro? Por que fechar a janela se há portaria 24 horas? Não é necessário trancar o carro se há câmeras de vídeo e segurança noturna, não é mesmo?

Esses pensamentos são pontos de vulnerabilidade que diminuem a sua segurança e da sua família dentro de um condomínio. É preciso compreender que a proteção oferecida pelo prédio é uma camada a mais, mas que não supre todas as necessidades. Por isso, é necessário sempre ter atenção e manter suas próprias medidas de segurança.

Como aumentar a segurança contra acidentes

Além do risco de ataques externos, o apartamento pode apresentar vulnerabilidades a acidentes internos. Alguns dos riscos são comuns a qualquer residência, mas outros são maiores, pois dependem também dos seus vizinhos. Saiba como se prevenir.

5- Conheça os extintores de incêndio do prédio

Cada andar de um prédio deve ter, por lei, um extintor de incêndio dentro da validade e pronto para ser usado. Entretanto, nem todo extintor é igual. Alguns deles devem ser usados apenas em fogo causado por determinados materiais.

O de água, por exemplo, pode ser usado em incêndios com madeira, papéis e tecidos, mas nunca com equipamentos elétricos. Já o de gás carbônico pode ser usado para incêndios provocados por líquidos inflamáveis e curtos-circuitos.

Alguns extintores, como o de pó químico, podem ser usados em qualquer caso e, por isso, eles devem ter prioridade no seu prédio. Pensando nisso, confira o tipo de extintor do seu andar e, caso ele não seja adequado, informe ao condomínio.

6- Verifique as mangueiras de gás e fique atento ao cheiro

O sistema de gás encanado dos prédios pode ser uma fonte comum de problemas, pois algumas pessoas podem esquecer de desligar o fogão. Por isso, é importante fazer uma vistoria regular nas mangueiras de gás para garantir que todas estão em ordem e na validade, além de ficar atento caso perceba o cheiro de gás vazando.

7- Use revestimentos com resistência ao escorregamento

Um dos acidentes domésticos mais comuns são as quedas, especialmente no banho. Isso acontece porque, infelizmente, muitas construtoras optam por soluções baratas e cometem erros, como usar revestimentos brilhantes no banheiro e outras áreas que costumam molhar, como a cozinha e a lavanderia, o que deixa esses espaços mais escorregadios.

Se esse for o seu caso, opte por trocar os pisos da sua casa por revestimentos com resistência ao escorregamento.

Dessa forma, você pode tomar banho e circular pela casa tranquilamente, sem se preocupar em cair e se machucar. Entretanto, não esqueça de que, para fazer uma reforma, você deverá se prevenir para garantir a segurança na obra.

Com essas dicas para quem mora em apartamento, você terá mais segurança e poderá dormir tranquilamente, sabendo que não corre riscos. Em todo caso, lembre-se de que a prevenção deve ser constante, sempre buscando novas maneiras de eliminar vulnerabilidades.

Fonte: https://pointer.com.br/