O que é Home Staging? Conheça a técnica utilizada para vender imóveis em menos tempo

O termo Home Staging surgiu nos Estados Unidos, ainda na década de 70. Barb Schwarz, corretora imobiliária, criou o conceito após verificar o quanto algumas pequenas alterações no imóvel e em como ele é mostrado podem causar um impacto positivo muito maior nos potenciais compradores, e o quanto isso seria benéfico para os seus clientes e o mercado de imóveis.

Barb percebeu que a prática de certos artifícios para melhorar a aparência dos ambientes agregava valor ao imóvel, o que fazia com que ele fosse vendido em um prazo mais curto e com um preço maior do que inicialmente valeria.

E, assim, criou-se o conceito que vem sendo difundido e amadurecido há quase 50 anos.

Basicamente, o conceito de home staging consiste na preparação do imóvel para que possa ser vendido com mais rapidez, potencializando pontos fortes, melhorando o visual, criando novos atrativos e tornando-o mais vendável.

O home staging está pautado sobre três pilares: estratégias de marketing, design de interiores e boas noções a respeito do mercado imobiliário.

Desde que foi criada, a técnica vem demonstrando sua eficácia e por isso se difundiu rapidamente pelos EUA, Canadá, Europa e Austrália.

Há estatísticas que comprovam que imóveis que passam pelo home staging levam até 80% menos tempo para serem vendidos.

No Brasil, o home staging ainda é um assunto em ascensão e que vem crescendo timidamente. Mas, assim como Barb aqueceu o mercado nas décadas passadas, alguns brasileiros já perceberam a relevância da técnica, especializando-se nos processos e aplicando nas suas vendas.

Home Staging no Brasil

Embora o home staging ainda não seja amplamente reconhecido no Brasil, o atual cenário econômico do país fez com que muitas pessoas despertassem para o uso da técnica quando a questão é: como vender um imóvel mais rápido?

Um exemplo disso são as reduções no teto de financiamento de imóveis realizadas pela Caixa Econômica Federal, principal banco utilizado para a compra e financiamento de imóveis, em 2017.

Na época, entre outras coisas, a Caixa impôs que, os imóveis usados que antes podiam ser financiados em até 80% do valor, a partir daquele momento poderiam ter financiamento de apenas 50% do valor total.

Isso tudo causou grande repercussão no mercado imobiliário, fazendo com que muitas corretoras e pessoas interessadas em vender um imóvel com urgência, tivessem que repensar suas ações e estratégias de venda.

Em abril de 2018, o banco fez um novo anúncio para informar o aumento do percentual de financiamento de imóveis usados de 50% para 70%. Ainda é cedo para mensurar os impactos dessa notícia nas vendas de imóveis, afinal, a economia ainda dá sinais tímidos de recuperação, mas muita gente já pode respirar mais aliviada.

Todas essas mudanças no mercado imobiliário, impulsionadas pela crise que atingiu o país, fizeram com que as pessoas pudessem notar as vantagens do home staging na venda de imóveis.

Mas como funciona o Home Staging, afinal?

Quando se coloca um imóvel à venda, é preciso pensar no comprador, colocando-se no lugar dele. Portanto, imagine você que um potencial comprador vai fazer uma visita para conhecer o imóvel: ele se interessará se o imóvel estiver com desgastes aparentes, com bagunçado e sujo? Bom, talvez sim, mas provavelmente vai querer reduzir o valor de compra do imóvel.

Assim, é importante trabalhar para causar impactos positivos no cliente, visando uma ligação emocional e aquela sensação de que seria bom se aquele lugar pertencesse a ele.

Nesse sentido, os cuidados devem começar com o anúncio do imóvel, que deve ter uma descrição envolvente e fotos profissionais. A preparação do imóvel deve envolver desde reparos de elétrica e hidráulica até a decoração.

Assim, o home staging (que, em tradução literal, significa “encenação de casa”) consiste num conjunto de técnicas que atuam na transformação do imóvel, acrescentando detalhes e aproveitando da melhor maneira possível aquilo que ele tem de mais positivo com o objetivo de atingir e conquistar o cliente final.

É válido frisar que o assunto não é nenhum bicho de sete cabeças e que é possível fazer melhorias e preparar os imóveis para venda, sem ter que desembolsar valores exorbitantes.

Outra coisa que deve ser colocada na balança é que o valor investido pode ser recuperado facilmente, quando a construção for vendida por um preço mais alto.

Mesmo com essas informações, você ainda têm dúvidas se vale a pena investir em uma consultoria de home staging?

Mesmo em tempos de bonança econômica, o home staging é uma ferramenta que ajuda a agregar valor ao imóvel que se pretende vender. Contar com a assessoria de um profissional home stager pode ser determinante para concretizar um bom negócio.

Isso porque esse tipo de profissional reúne conhecimentos e trabalha com estratégias que possuem apelo estético, emocional e de venda. Essa é uma questão relevante e que deve fazer parte da vida de corretores imobiliários, designers de interiores e arquitetos ou simplesmente alguém que quer vender o seu imóvel.

Ainda é muito comum vermos anúncios de imóveis vazios, o que acaba dificultando muito que as pessoas consigam imaginar como seria viver ali, o que também não significa que a preparação do imóvel deva ser feita de forma exagerada.

Dentro do conceito de home staging, é necessário empregar ações de recuperação de defeitos e uma decoração clean, moderna, sem abusar de artigos decorativos, contribuindo para estabelecer uma relação de empatia.

Infelizmente, é comum que leigos acabem pensando que o home staging se trata apenas de um modismo, porém há diversas associações internacionais que destacam a importância da técnica.

Desse modo, o home staging figura como uma ferramenta de alto potencial e que pode fazer toda a diferença para o aquecimento do mercado imobiliário, mesmo em períodos de turbulência.

Fonte: https://shae.com.br